Minha História

AO VIVO

2002

Escolha a música e ouça o sucesso!


Ficha Técnica do Disco: 

Título: Minha História (Ao Vivo)
Ano: 2002
Técnicos de Gravação: Marcelo Cunha e Marcelo Machado
Técnico de Mixagem: Marcelo Machado
Assistente: Júnior
Produção e Direção Musical: Nando Borges
Arranjos: Seneca e Bamdamel
Assistente de Produção: Nei Fontes
Fotos: Tadeu Miranda
Gravado em Natal/RN em Outubro de 2002

Mixado no estúdio do Terra Samba — Salvador/BA

Bamdamel é:

Teclados: Soneca, Josivaldo Silva
Baixo: Gildo Lopes
Percussão: Marcio Telmo, Dam Prata e Déo Chaves
Metais: José Raimundo Rios
Bateria: Dito Gomes
Guitarra: Fábio Carvalho
Voz: Gutto Lopes e Adriana Vieira
Beck Vocais: Aline e Vânia Bárbara
Agradecimentos Especiais:
Alexandre Tawfic — Ênio Sinedino — Roberto Bezerra
Erick Gurgel — Hammer Academia — Ivison Moraes
Léo Góes — Osmar Martins — Tom
e a Nova Miron Instrumentos Musicais
Nossas famílias pela paciência e confiança, e a todos que direta ou indiretamente contribuÌram para a realização desse trabalho.

Supervisão Geral: ALBERTO ALCANTARA DA SILVA

Dá Licença

FAIXA 1

Autores: Book Jones (Ed BMG Arabella)

Intérpretes: Gutto Lopes e Adriana Vieira



Bate o pandeiro
Cala tristeza
Abre um sorriso Bis
Plante uma canção
Dá licença
Minha linda nação brasileira
Nosso povo não quer besteiras
Já é hora de ser feliz feliz

Ah! Muito, muito tempo
A gente procurou
Saber de tudo dessa estrada
De que pedaço do céu
Essa energia caiu
E por que foi a razão
Que essa bomba explodiu
Mas tudo isso vale nada
Dá licença
Minha linda nação brasileira
Nosso povo não mais se engana
Ja é hora de ser feliz


Em Você Tudo É Lindo

FAIXA 2

Autores: Reinaldo Arias e Carlos Colla (Ed BMG Arabella)

Intérprete: JAdriana Vieira



Meu coração não agüenta mais
To pedindo uma chance pra ser teu amor
Essa paixão ta forte demais
Vem sorrindo, me devora com o teu calor
Menino me leva pra ser teu brinquedo
Me deixa guardar teu segredo
Não me deixe sozinha
Não vê que assim vou morrer de desejo
Preciso demais do teu beijo
E provar teu carinho

Menino balança esse corpo gostoso
Teu jeito me dá um nervoso
Eu to pegando fogo
Depois que te vi, eu perdi o sossego
Preciso fazer um chamego
Pra empatar esse jogo
Em você tudo é lindo
Preciso te tocar, eu quero te amar
Quero ver teu sorriso
E ter você assim, agarradinho em mim


Baianidade Nagô

FAIXA 3

Autor: Evany (Ed Stalo)

Intérprete: Guto Lopes



Ê ê o Laia
Ê o ê o Laia
Já pintou verão
Calor no coração
A festa vai começar
Salvador se agita
Numa só alegria
Eternos Dodô e Osmar
Na Avenida Sete
Da paz eu sou tiete
Na Barra o farol a brilhar
Carnaval na Bahia
Oitava maravilha
Nunca irei te deixar, meu amor

Eu vou atrás do trio elétrico, vou
Dançar ao negro toque do agogô
Curtindo minha baianidade nagô
Eu queria que essa fantasia fosse eterna
Quem sabe um dia a paz vence a guerra
E viver será só festejar
Ê ê o Laia
Ê o ê o Laia


Crença e Fé

FAIXA 4

Autores: Ademário e Beto Jamaica (Ed Latino / Warner / Champbell))

Intérprete: Adriana Vieira



Vou dar a volta no mundo eu vou, vou ver o mundo girar
Mas eu só saio daqui quando o coral negro passar
Essa visão do mundo permanece ainda não modificou
O que não se comenta, o que a razão alenta o que não se cantou
Ilê ayê começa onde termina o ponto de eclosão total
Onde não se divide, e nem se descrimina é mais um carnaval
Refrão

E diga yes, diga yes sou negrão, e diga yes, diga yes, sou negrão
E diga yes, diga yes sou negrão, sim, sim, sim sim sim sim...
O negro não desiste ele só persiste em sobreviver
Pela sua história em sua memória o que lhe faz crescer
Ilê ayê define toda sua crença a nos motivar
E dentro da ciência só com paciência venha comemorar


Cadê Você
FAIXA 5

Autor: Odair José

Intérprete: Gutto Lopes



O tempo vai
O tempo vem
A vida passa
E eu sem ninguém


Cadê você
Que nunca mais apareceu aqui
E não voltou pra me fazer sorrir
E nem ligou

Cadê você
Que nunca mais apareceu aqui
E não voltou pra me fazer sorrir
Então cadê você

Mas não faz mal
Pois eu me calo
Tá tudo bem
E eu sempre falo
Cadê você
Que nunca mais apareceu aqui
E não voltou pra me fazer sorrir
E nem ligou...


Mulher Primazia

FAIXA 6

Autores: Ademário e Beto Jamaica (Ed Sony Music)

Intérprete: Adriana Vieira



Você sempre mulher
Primazia que deslumbra
E que acata o mais profundo sentimento
Artista nata que é
Da solene verdade, sua realidade
Tu és maravilha
Você altiva e pura
Rosa de ouro, estrelada
Anjo da rosa menina
Que lhes super fascina, Rosa de Deus
Ê maravilha ê, ê, ê
Amar a vida ê, ê, a
E me chama
Vem cá, vem cá, vem cá

Direito oh! liberdade
Divindade me seja bem vinda
A Dulcineziar
Linda tal encantou
Eternas crianças do amor
Envolve e desenvolve
O fruto de uma simpatia
Que no seu dia a dia
Se faz verdejar
E ao teu seio vem alimentar


Cotovelo

FAIXA 7

Autor: Santos (Ed Direto)

Intérprete: Gutto Lopes



Ouvi tambores tocando
Que tem zumzumzum na ladeira
O meu amor ta de Banzo
Vou dar mingau de macaxeira
Acarajé, vatapá, caruru, suco de Maracujá
Cotovelo, segura cotovelo, menina cotovelo

Olho no olho na bacia d´agua o sapo tá espiando
Bota potássio pra engomar a anágua
Sinhá ta esperando
O que engorda menino magrelo é macaxeira e jabá do sertão


Conversa Fiada

FAIXA 8

Autor: Marinho (Ed Direto

Intérprete: Adriana Vieira



Vamos cantar, vamos cantar, vamos mostrar
Vamos mostrar, vamos mostrar, vamos cantar
Vamos mostrar pra todos os nosso cantar
Pois a corda só quebra pro lado de lá

Não quero mais essa conversa fiada
Não quero mais ouvir essa piada
Que o Brasil é o país do futuro
Essa balela é pra trouxa, o povo anda duro

Hei galera, vamos nessa
Nessa onda quero arrebentar
Não quero mais ouvir essa conversa
Papo de deixa disso, ou de deixa pra lá
Consciência anda faltando
E más notícias andam mergulhando
Pois hoje chega eu quero gritar
Que o povo que canta não me deixa calar
Meu Brasil brasileiro


Protestos D'Olodum (E Lá Vou Eu)

FAIXA 9

Autor: Tatau (Ed Sony Music)

Intérprete: Gutto Lopes



Força e pudor, Liberdade ao povo do Pelô
Mãe que é mãe no parto sente dor, e lá vou eu, oh!
Força e pudor, Liberdade ao povo do Pelô
Mãe que é mãe no parto sente dor, E lá vou eu
Declara a nação, Pelourinho contra a prostituição
Faz protesto, manifestação, E lá vou eu
AIDS se expandiu, e o terror já domina o Brasil
Faz denúncia Olodum Pelourinho, E lá vou eu
Brasil liderança, força e elite na poluição
Em destaque o terror, Cubatão, e lá vou eu, ôh!
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
E lá vou eu

Lá e cá Nordestópia, Na Bahia existe Etiópia
Pró nordeste o país vira as costas, e lá vou eu

Moçambique hei, por minuto homem vai morrer
Sem ter pão nem água pra beber, e lá vou eu
Mas somos capazes, o nosso Deus a verdade nos trás
Monumento da força e da paz, e lá vou eu, oh
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
E lá vou eu
Atenção!!! Bandamel vamos saldar o nosso Brasil E salvar o Pelourinho, vamos nessa
Desmound Tutu, contra o apartaid na África do Sul,
Vem saudando o Nelson Mandela, o Olodum, ô ô ô
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
Iôiôiô, lálálálá
E lá vou eu, Banda Mel


Apaixonada

FAIXA 10

Autores: Nando Borges e Zé Raimundo (Ed Bahia Discos)

Intérprete: Adriana Vieira



Sabe, estou apaixonada por você
Disfarço, finjo que não to
Meus lábios te dizem que não
Porém não há como negar quando se ama alguém
Te vejo em meus sonhos
Acordada por aí
Meu bem você me enfeitiçou
Com jeito você me levou

Brilha seu rosto ao luar
Só pode ser da paixão
Teu beijo me faz delirar
Desmanchar de prazer ao ver
Vejo que o seu olhar
Brilha de pura emoção
Bate que bate o compasso do meu coração
Vem me beija
Me ensina a viver, me faz enlouquecer
Vem, me beija
Me ensina a viver
Me faz enlouquecer de amor


Meu Jeito de Querer

FAIXA 11

Autores: Sergio Caetano e Chico Roque (Ed.EMI/Sony Music)

Intérprete: Adriana Vieira



Se eu quiser amor ela me faz
Se eu fizer de novo tenho paz
Quem tiver alguém assim
Igual a mim
Não deve deixar jamais
Ela tem meu jeito de querer
De fantasiar nosso prazer
Eu sou louco, mas feliz
E sempre quis amar e me perder
Sabe quando o fogo da paixão
Sai queimando o corpo e o coração

É como precisasse conseguir
Terminar as forças e depois
Poder dormir
E te amar no sonho outra vez
Todos os desejos que me fez
É porque nós somos só verdade
O pecado contra a lucidez
E te amar de novo, já nem sei
Foram tantos beijos que te dei
E nos entregamos com vontade
Eu te amo como nunca amei
Eu te amei...


Pegada Afropop

FAIXA 12

Autores: Santos e Fernando Picula (Ed. Direto)

Intérprete: Adriana Vieira



Berim bim bim bom
Berim bim bim baú
Pracatum pracatá, é som de timbau
Aqui se tira até som da lata
No tronco da madeira
Também faço um batuque bom

É música de rua, ginga brasileira
Pegada afropop sinfonia de bom
A melodia ecoou e balançou
Nos quatro cantos do mundo
Na multidão, uma tara, um desejo, um anseio
De um festejo profundo


Arrepio

FAIXA 13

Autor: Fredson (Ed Direto)

Intérprete: Gutto Lopes



Dá um arrepio
Quando a Bamdamel passa
Nem sinto mais frio
É calor no meio da praça
Quando chega fevereiro
Todo o povo vem pra cá
Carnaval o ano inteiro
A Bahia vai mostrar
Chalalalalalal

Você vai ouvir dessa moçada
O som, mas que fenomenal
A Mel quando passa agita a massa
E todo mundo vai achar muito legal
Eu não sei o que acontece
Quando a banda passa todo mundo se agita
Não sei mais o que fazer
Vou cair no reggae e me jogar na avenida
Papapapapap


Ginga e Expressão
FAIXA 14

Autor: Tonho Matéria (Ed Tapajós)

Intérprete: Adriana Vieira



Ginga e expressão, vem do coração
É o mar de amor, é o mar
Todas mulheres são sempre mulheres da vida
Todas mulheres são símbolos de uma amplidão
Eu quero poder pra poder amar
Como a Afrequetê que abriu um lugar ao mar
Pro teu estrelar
Conferem aos brutos que buscam a paz contida
Sem superstição do além da imaginação
Quem dera ao mundo sezeu motiá
Pro bem do futuro largar esse usar o mar de motivações
Ginga... navega eu

Mulheres são todas felinas, navega eu
Querendo afrequetiar - navega eu
A mulher surpreende-se ao mundo por ser exótica
Vende a imagem de puberdade pro teu sentir
Se a vida relata por ter noção
Por que não buscar o teor, razão, andar
Sem preocupação
Resiste aos embates que ferem tua fera ferida
Do sangue almea teu lume nunca entre o som
Mulher é metade e sempre será
O nome expande no total lugar e eu estou aqui
Por seu existir
Refrão


Cerveja

FAIXA 15

Autor: Fredson e Tonho Copque (Ed Sony Music)

Intérprete: Gutto Lopes



Tô com sede, mas não quero água
Quero uma cerveja boa e gelada
Pode tá na lata ou na garrafa
Pode tá no copo ou no garrafão
Pode tá no cantil ou na taça
Se tiver gelada eu passo a mão
Pode tá aberta ouo fechada
Pode ser no inverno ou qualquer estação
Pode ser dia, noite, madrugada
Pode tá fumaça que eu bebo sem perdão

Eu tô com sede...
Se eu tomo uma não me satisfaz
E na boca o sabor é de querer mais
O calor aumentando, eu não fico em paz
E o suor escorrendo eu vou atrás


Pout Pourri

FAIXA 16

Intérprete: Adriana Vieira

Faraó

Autor: Luciano Gomes (Ed Stalo)



Faraoó
Deus de divindade infinita do universo, predominante esquema mitológico
A ênfase do espírito original, formará do Éden o ovo cósmico
A imersão, nem Osíris sabe como aconteceu Bis
A ordem ou submissão do olho seu, transformou-se na verdadeira humanidade
Epopéia do código de Quebes e Mutti gerou as estrelas
Osíris proclamou matrimonio com Isis, e o Musset irado o assassinou e impera
Horus levando avante a vingança do pai, derrotando o império do Musset
O grito da vitória que nos satisfaz, cadê

Tutancamon, ei Gizé // Agaenaton, ei Gizé
Eu falei Faraó, ê Faraó
Drama, Olodum, Pelourinho // Pirâmide, a base do Egito
Drama, Olodum, rebentão
Que Mara, Mara, Mara, maravilhaê, Egito, Egito ê Refrão repetir 4 vezes
Faraó ó, ó ó ó


Ladeira do Pelô

Autores: Tatau e Paulo Moçambique (Ed EMI Music)



Olodum, Salvador minha Bahia
E eu vou, na sexta feira eu vou, vou subindo a ladeira do pelô
E eu vou na sexta feira eu vou, meu coração palpitou,
Vou subindo a ladeira do Pelô
Balançando a banda pra cá,
Balançando a banda pra lá
Duas crianças de sangue tiveram que juntar
Jurando um ao outro que nunca iam se separar

A traição proclamada pelo Grã Vizir
Assassinaram o rei Ali, quando ia partir
E a rebeldia do mar, às vezes mata
O mar até se agitou
Esse é o milagre da história
Que a mãe natureza revelou
Ó Ó Ó Ó Bagdá
E nas montanhas eu vi Ali Babá
Em BagdáDuas crianças de sangue teve que juntar
Durando um ao outro que nunca iam se separar
A traição proclamada pelo Gran Vizir
Assassinaram o rei Ali quando ia partir
Índia fronteira sagrada com Bagdá
Osama já está cá livre e inabalar
Antes da morte Ali entregou o medalhão
E o seu filho ficou conhecido por toda a nação
E o filho de Ali fez a cena da traição
Se escondera, atrás do barco da navegação

E a rebeldia do mar, as vezes mata
O mar até se agitou
Esse é o milagre da história
Que a mãe natureza revelou
Ó Ó Ó Ó Bagdá (4 x)
E nas montanhas eu vi Ali Babá (2 vezes)
Em Bagdá (2 vezes)


Bagdá

Autor: Betão (Ed Latino)



Duas crianças de sangue teve que juntar
Durando um ao outro que nunca iam se separar
A traição proclamada pelo Gran Vizir
Assassinaram o rei Ali quando ia partir
Índia fronteira sagrada com Bagdá
Osama já está cá livre e inabalar
Antes da morte Ali entregou o medalhão
E o seu filho ficou conhecido por toda a nação
E o filho de Ali fez a cena da traição
Se escondera, atrás do barco da navegação

E a rebeldia do mar, as vezes mata
O mar até se agitou
Esse é o milagre da história
Que a mãe natureza revelou
Ó Ó Ó Ó Bagdá (4 x)
E nas montanhas eu vi Ali Babá (2 vezes)
Em Bagdá (2 vezes)